Projeto de Fotografia

Projeto de Fotografia

Nascer albino na Tanzânia é como ter uma etiqueta marcando seu preço. Feiticeiros locais utilizam partes do corpo de crianças com a condição em rituais, o que leva algumas pessoas a “caçar” meninos e meninas em troca de dinheiro. A fotógrafa holandesa Marinka Masséus criou uma bonita série para chamar atenção para o assunto.

O albinismo é uma condição genética causada pela falta de melanina, pigmento que dá cor à pele, cabelos e olhos. No mundo, estima-se que 1 em cada 20 mil pessoas nasce assim. Na África subsaariana a proporção é bem maior, e a Tanzânia se destaca ainda mais, com um bebê albino a cada 1400 nascimentos.

Assim, caçadores sequestram crianças e amputam braços e pernas, além de arrancar olhos e até genitálias para vender. Segundo a ONU, há quem acredite que, se o albino estiver gritando durante a amputação, seus membros ganham mais força nos rituais. “Quis criar algo visualmente chamativo para mostrar a beleza das crianças albinas e passar uma mensagem positiva, de esperança, aceitação e inclusão”, diz Marinka. “Meu objetivo foi fazer imagens que prendessem a atenção das pessoas, tocando seus corações ao mesmo tempo em que levasse a mensagem adiante”, completa.